quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Críticas: construtivas ou destrutivas?

Live Preview: Críticas: construtivas ou destrutivas? - FanFiction.Net

Críticas: construtivas ou destrutivas?

Por Josiane Veiga


...quando terminamos de escrever, estamos com nossas vistas viciadas Por isso, pouco adianta ler o texto assim que terminar, porque os olhos passarão direto pelos erros (já que a história ainda está fresca na cabeça) e não vão identificá-lo. Isso ocorre com todo mundo que escreve qualquer coisa. Eu, por exemplo, preciso sempre esperar alguns dias para ler novamente o que escrevi. Só assim, consigo fazer uma revisão mais ou menos decente (ou nem tão decente assim, porque, apesar do tempo que passou, a história continua na mente de quem a criou).”

Conhece o texto acima? Ele foi parte de um artigo intitulado: “O poder de uma crítica”, escrito por Luciane Rangel. Ah, você sabe quem é a Luciane Rangel? É simplesmente a autora do ficdrama do site Pandora, e uma das melhores autoras de originais do país, revelação dos últimos anos.

Ok, Josy... mas, e daí? Por que iniciar um texto falando isso?

Caro leitor(a), quero destacar nesse parágrafo algo incrível que talvez você não tenha notado ao passar os olhos rapidamente:

- “Quando TERMINAMOS de escrever...”

-ocorre com TODO MUNDO que escreve qualquer coisa”

Percebeu? Não? Calma, eu explico.

Iniciar esse (como poderia definir, artigo?) texto com as palavras da Luciane teve um único objetivo: mostrar que os monstros do mundo atual das letras também erram! E digo mais! Sabe por que aquele autor maravilhoso que você tanto ama não te entrega um livro lotado de deslizes? Por que existe uma equipe por trás dele, que lê o texto, corrige, arruma, etc. E essas pessoas não fazem isso por amor a literatura (ou seja, não são betas), e sim por dinheiro, afinal, essa é a profissão delas.

Nos últimos anos, o mundo fandom do país mudou muito. Antigamente, a maioria das pessoas não tinha computador, e o ataque aos escritores era bem restrito. Hoje, qualquer pessoa que escreve está sujeita a críticas, que mascaradas de construtivas, estão acabando com a carreira de futuros grandes escritores.

Por que estou as 08:43 da manhã, sentada na frente do computador escrevendo isso? Talvez seja porque esse assunto me incomoda. Dizem que os aquarianos são assim: quando se sentem incomodados ou vêem injustiças, tem que fazer algo, nem que seja escrever um texto, para tentar acordar as pessoas.

Em 2007, eu escrevi um artigo destacando o seguinte: “Você nunca vai crescer enquanto não for criticado” e, acreditem vocês, eu ainda concordo com isso. As críticas nos fazem crescer, nos amadurecem, nos desenvolvem. O problema é que a visão de crítica que tenho é diferente da opinião da maioria dos leitores do Brasil.

Alguém aí sabe o significado da palavra crítica? Quer dizer apreciação, avaliação ou opinião. É bem diferente de “detonar o outro” com a velha desculpa do “eu só quis ajudar”.

Humilhar publicamente alguém hoje é moda. É só a pessoa escrever uma palavra errada, e então começa o ataque intensivo dos “pseudo intelectuais”. Na maioria das vezes, as “críticas construtivas” são apenas uma máscara para a inveja do “fulano escreveu esse horror, e têm mais comentários que eu”.

Notaram? Vou exemplificar.

Escrevo já há algum tempo, e já recebi várias críticas. Conversando esses dias com uma leitora (beijo, Sheila!), eu disse que sou sensível a críticas, e não gosto delas. Na verdade, no meu início, as adorava! Por quê? Porque as pessoas que as faziam eram diferentes. A Sandy Youko, por exemplo, trabalha com a língua portuguesa. Isso quer dizer que ela tinha todo um cuidado em me dizer no que eu devia crescer... e (pasmem!), suas avaliações eram feitas por email, de forma discreta.

Infelizmente, nos últimos anos, o tipo de crítica que eu recebo é muito diferente das do meu início. E quando reajo ofensivamente a elas, a pessoa ainda tem a cara de me dizer: “eu só quis te ajudar”.

Vamos ser claros? Uma verdadeira crítica jamais é exposta num comentário público. O caso muda, claro, se você é escritor de uma editora. Mas no caso de fics originais e fanfics de qualquer fandom, se o leitor crê que pode ajudar o autor, deve tentar fazer isso de maneira EDUCADA e DISCRETA. Ou você vive na ilusão que vai despertar a gratidão de alguém chamando a atenção dessa pessoa em público?

Outra coisa: uma crítica construtiva é CONSTRUTIVA. Ficar dizendo “você errou na vírgula”, ou “devia ser ponto de exclamação, e não interrogação” não é crítica, porque normalmente um autor só comete uma falha dessas por desatenção ou falta de beta. Se você não tem nada a acrescentar na obra, não comente. Mas se tiver, faça de forma discreta, e privada. E respeite o direito da pessoa continuar a escrever a história do jeito que quiser, afinal, a história é dela! Não é porque eu quero que o João fique com a Maria, ao invés de com a Ana, que eu tenho o direito de esculachar o trabalho de um autor. Se você não gosta dos pares, não leia a obra!

Você que está sentado à frente do computador, lendo esse artigo, nesse momento deve estar sentindo uma dessas duas coisas para com ele: carinho ou ódio. Se for carinho, é sinal que, provavelmente, você já passou por uma situação de ataque e saiu bastante ferido. Se for ódio, é provável que goste de atacar, e acha-se um salvador do mundo literário limpando o mundo dos maus escritores.

Bom, caros, permito-me o direito agora de dirigir-me diretamente a segunda classe dos leitores do artigo: Você me conhece? Provavelmente sim, se está lendo esse texto. Bom, já deve ter lido a “Insígnia de Claymor” ou “Rendição”, né? Escrevo com o português no máximo do “certinho” que consigo, não? Deixa eu te contar uma bomba: Eu também já escrevi em linguagem de internet e sem me importar com o português correto! É verdade! E tenho textos na net que provam isso. Aliás, deixa eu “linkar” aqui o meu: BBBA. Entre AQUI e deslumbre-se com um dos piores lixos já escritos no Brasil. E é meu! *orgulhosa*. Sabiam que o BBBA ficou quase um ano em primeiro lugar como o fic mais lido do Animes Spirits? Será que é porque o povo gosta de lixo? Eu tenho uma teoria melhor: é porque as pessoas gostam de histórias com alma, mesmo que sejam comédias esdrúxulas.

Uma obra, caríssimos, não é um amontoado de palavras perfeitamente postas numa folha de papel ou na tela de um computador. Uma história de verdade é aquela que te faz rir ou chorar, que te emociona ao ponto dos erros ortográficos serem completamente ignorados.

Vem cá: Você se importaria se “Batalha do Pop” do Fabiano Kinomoto tivesse erros de digitação? Pararia de ler “Seven Sisters” da Petit Ange se ela cometesse um ou outro erro gramatical? Desmereceria a incrível obra “Estação das Ilusões” do Stormy Raven porque ele esqueceu uma vírgula? Tenho certeza que não! Essas três obras citadas são apenas alguns de muitos exemplos das fantásticas histórias que estão surgindo, dia após dia, nesse país! Se algumas delas contem erros (sinceramente, não sei. Leio com o coração e não fico catando erros, a não ser que eu seja beta!) é totalmente irrelevante, porque o que realmente importa é que são textos que nos fascinam, nos emocionam, nos fazem chorar!

Um dos lugares de maior talento por metro quadrado no país é o Arachikut. Quando eu entrei nele, o grupo de fanfics ainda era pequeno. Logo de cara percebi que o povo lá tinha talento, mas, assim como eu no começo da caminhada, acreditavam que “só escreviam por diversão, então não precisavam ser cuidadosos”. Aos poucos, com cuidado, respeito e singeleza, comecei a demonstrar a alguns, o quanto eles eram verdadeiros artistas. (De verdade! Sim, caros, um escritor é um artista! Se ele ganha dinheiro ou não com suas obras, não importa; afinal, Van Gogh, por exemplo, se matou porque nunca foi reconhecido em vida.)

De repente, as obras começaram a pipocar por lá. Os que já escreviam, foram publicando com mais coragem seus textos, melhorando em vários aspectos, crescendo sem limites. Os que só liam, também começaram a traçar suas linhas. Uma revolução literária sem NENHUMA CRÍTICA DESTRUTIVA!

Vocês não têm idéia do que aquele site se tornou! Apareceram obras de época, incrivelmente pesquisadas e trabalhadas. Comédias fofas, que me matavam de rir cada vez que eu lia. Hentais fantásticas, que quase mataram do coração 90% dos leitores. Romances tão reais, que se eu não soubesse que haviam sido escritos por fãs, teria certeza de que eram autênticos.

Eu afirmo sem medo: Hoje, o Arachikut é o site com as melhores fanfics do Brasil, em minha opinião. Temos (me incluo) muito a crescer (ainda bem!), mas estamos crescendo num ambiente sadio, sem sadismo, ironias, etc. Eu, com sinceridade, acredito que o mundo atual das fics tem muito a aprender com o a humildade e dedicação do povo do grupo de fanfics do Arachikut.

Ah! Viram como o respeito faz muito mais do que as críticas? O mundo fandom deveria ser todo assim. Os que tiveram mais chances de aprender (seja por faculdade, experiência, convívio com gênios, etc...), repassando aos outros, de uma forma educada e gentil.

Na comunidade do Nyah, fui acusada de não aceitar críticas. Sim. Se você quer me detonar, vire a esquina e procure outro. Mas, se você quer ser meu amigo, quer me ajudar a crescer e, em especial, se você reconhece que eu não escrevo só erros, mas também tenho meus pontos positivos: sinta-se bem vindo! Eu vou tentar ouvi-lo.

E, se por acaso, está sendo vítima de ironias e perseguições, seja por um texto ou pelo fandom que você escolheu (sim pessoal de Crepúsculo e Naruto... estou falando com vocês!), lembre-se de que a maior parte dos textos sagrados do mundo fandom de hoje, foram “modinha” antigamente.

Últimas dicas de hoje:

-Não se sinta superior porque você escreve “originais”. LEMBRE-SE: Os melhores autores de originais de hoje, começaram com fanfics.

-Não se sinta derrotado com qualquer crítica destrutiva (eu sei que a gente fica pra baixo, mas levante a cabeça). Faça como eu: vá ao perfil da pessoa que te criticou e veja as obras dela. E então dê uma boa risada e prossiga em frente; afinal, normalmente quem detona os outros são os que não têm competência. Sabe como é... aquele velho ditado... quem muito vê a sujeira na janela dos outros, é porque a poeira está nos próprios olhos.

-Uma obra é algo que tem alma, e vida. Se você não tem beta, e está com medo dos “flammers camuflados de críticos literários de hoje”, publique igual. Não importa se seu texto tem erros. Use o Word e arrume os piores. Vá a sites/forum como o Nyah, UMDB, etc, e procure betas para ajudá-lo. Não se desmereça, nem fuja dos desocupados. Não desista do seu dom por causa de pessoas que só querem te destruir.

-Acredite em você.

-E nunca, nunca e nunca se esqueça do principal: Dê o seu melhor... sempre.

Bom, é isso!

Até a próxima.

Nota: Obrigada a Sheila que leu e corrigiu o texto. Valeu Amiga!!!

12 comentários:

Luiz dreamhope disse...

Faz tempo que eu não vejo um post por aqui. O texto foi escrito porque você estava perturbada com tais criticas ofensivas. Bom, eu devo discodar de alguns pontos. Foi notável como você desenvolveu o texto num desabafo e certa raiva, o que quero te parabenizar por criar por tantos paragrafos com este sentimento que foi vazando bem aos poucos. O post foi muito bem contruído.


Mas aquela parte das criticas serem discretas, bom, isso depende da critica.Sério. Eu não me incomodo de ver um texto cheio de erros grotescos, daqueles que te fazem parar após alguns linhas. Não importa se a pessoa tenha uma boa história, se ela não conseguir passar isso de uma maneira decente, não adianta que leitor algum irá sentir o que ele escreveu.E não digo que ele tem que eccrever de um modo bem certinho, mas sim de um modo que seja compatível com a idade dele.

Quando vejo meus textos de antes, digo que aquilo é um verdadeiro lixo, mas isso só porque eu consegui uma grande melhora hoje. Entratanto, eu consegui leitores. Consegu que eles ficassem absortos com a história, mesmo que a escrita delas não fosselá essas coisas.Se eu fosse um leitor dessa história hoje, eu com certeza faria um massacre. Porém,a história é algo a parte. Um texto não tem só escrita, mas também um significado.

Eu aceito de portas abertas qualquer tipo de critica. De gosto doce ou azedo. Mas não acho que tais criticas contrutivas deixam de ser feitas só porque podem ofender escritores. Se o cara quer ser um escritor, ele vai ter de se acostumar com isso. mas basta também saber criticar.E não é dificil perceber a diferença de criticas contrutivas e destruidoras.

Eu sempre critico pensando na melhora que tal texto poderia ter. Faço um balanço dos aspectos positivos e negativos e lanço para o autor. Fiz isso algumas vezes, e só fui rejeitado umas duas ou tres vezes.

Entratanto, é preciso lembrar que o nivel de portugues de pré-adolescentes e adolescentes é muito baixo. Por isso, este ataque incessante deo que alguns chamam de ofensas.Não considero ofensas, quando são criticas ditas com jeito.

O significadode uma história também conta bastante, e uma hora ou outra, os escritores verão que está na hora de amadurecer.Assim como aconteceu comigo na primeira versão do Mundo Sombrio. E acho quefoi o mesmo que aconteceu neste Arachikut. (Nunca ouvi falar dele. Mas tem certeza que supera o Nyah?Pelo menos no quesito Originais, o Nyah, junto com a comu de originais do ORKUT continua sendo a melhor fonte de boas histórias hoje. O AS nem pensa´r, não que não tenha, mas a é complicado achar uma boa história lá.
Vou dar uma olhada nesse novo recanto de fics.Muahahaha, lá vou eu aumentar o dominio de meu nome. Sou um fdm pra marketing pessoal. hahaha

Queria falar mais, mas numa Lan fica dificil.E perdoe por nao revisar o comentário.Tá complicado o tempo aqui.

Ótimo post então.Isso blog devia ter mais posts assim. =)

Josy-chan disse...

Oi luis
Ao contrario..eu ja estou num patamar que ninguém se atreve a me meter o pau...
Mas, estou simplesmente chocada com a falta de carater, vergonha e semancol que alguns criticos estão tendo com os novatos. Já tenho um "nome", então estou o usando para defender aqueles que estão sendo atacados. Alguém tinha que fazer isso.. e eu fiz.

Léo disse...

Olá!Gostei bastante do blog,apesar de não ter quase nenhuma postagem.

Aproveito para dizer que interessei-me muito pelo artigo.

Visite meu blog:
www.sagasmarcantes.blogspot.com

Anônimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net

Vicky disse...

já recebi críticas bem pesadas por causa de fics

Imagine que sou ficwritter a 7 anos.

Quando a crítica não é construtiva significa que são apenas ofensas

É dificil encontrarmos comentários críticos contrutivos.
Já recebi alguns como dicas de cronologia etc, e as pessoas foram bem educadas

Readers por favor, mandem reviews! Todos os ficwritters amam e se incentivam com isso!

Cantinho She disse...

Uau! Vou resumir em uma frase:

AMEI ESSE SEU TEXTO/ARTIGO/DESABAFO/EXPLICAÇÃO!

Sensacional! De verdade verdadeira mesmo!

Beijo, beijo!
She

Sammy-san disse...

Sei como é. Sempre digo que somente quem tem o direito de apontar os erros são aqueles interessados na história. Tipo, o enredo é bom,ou as personagens... Mas a escrita precisa de uns reparos. O contrário também é verdadeiro. Escritas perfeitas pra uma história sem brilho (ou chata mesmo).

E claro, o escritor é consciente de que deixou passar os erros, então quando apontados tem o dever de corrigí-los. Errar não é sinônimo de mediocridade, mas insistir no erro é.

Bem,adorei esse blog. Também tenho um chamdo "os-protetores.blogspot.com" que ainda está no anonimato. Se gostar de originais pode dar uma olhada. E se quiser fazer parceria eu agradeço.

Abraços

reneev disse...

olá Josy,
li seu artigo no yaoi extreme e agora li este e realmente concordo com tudo que você disse. Já faz quase 3 anos que não escrevo nada e tenha postado. A última coisa que escrevi foi uma fic de aniversario que uma amiga minha pediu e eu fiz. Confesso que eu me critico muito porque eu sei que sempre posso melhorar mas fico arrasada quando alguém me ''esculacha'' fico contente em ler sua experiência de vida. Você definitivamente me inspirou e tirou meu medo. Obrigada.
beijos

Josy-chan disse...

Fico mega feliz que a minha propria experiencia possa servir a todos vocês. Nunca desistam^^

Kamy Jaganshi disse...

Amiga se eu disser que esses dias atrás eu sofri uma critica DESTRUTIVA vc acredita? kkkkkkk
Tipo, sou aquariana tbm e como vc, tbm não aceito muito bem as criticas, mas tento relevar, pois ALGUNS tentam nos ajudar de verdade, mas tem uns que, pela'mor, né?!
Tipo, eu SEI que minhas fics antigas não chegam aos pés das que faço agora, (aviso, não to me achando, mas minha escrita vem melhorando muito), então como sempre faço, eu aviso q tem erros e peço até q a pessoa me avise para que possa arrumar, né?! Mas umazinha veio e simplesmente disse que minha escrita é "podre" e só ficou falando como tava horrivel...
Eu claro, na maior educação (no começo) falei que se não estava gostando que podia parar de ler q não me importaria... Mas a pessoa leu até o final e disse q a história era boa, mas que ficou um lixo por causa dos erros O.o
Sério, ela devia ler esse seu post para aprender a dar criticas construtivas, pois ela falou o clássico "eu só tentei te ajudar, vc é que não sabe receber uma critica construtiva"...

Morri de rir, né?! Amei a postagem amiga, quem sabe eu não faça algo do tipo no meu blog tbm? xD

Josiane Veiga disse...

Kamy,
Onde foi isso? Caso tenha sido no OL, me avise para que eu converse com o membro que fez isso.

E fia, é inveja.. sua fic é otima!

Kamy Jaganshi disse...

Bom, foi no ff.net e era um fanfic de CDZ... Claro que não estava como a do OL, pois não tinha a intervenção da Fabi rsrs... Mas até que não está tão ruim e se ta, não precisava falar desse jeito, né amiga?

E que bom que anda gostando da fic, pois cap 8 vai te fazer subir nas nuvens e não querer descer mais hehe... Só não posto do ff.net, pq não sei como se posta algo de Arashi lá >.<