quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Sou uma eterna romântica...


Acredito que o que mais se destaca no meu trabalho como escritora nos últimos dez anos é meu lado idealista. Não que meus amores sejam “cor de rosa”; mas, são amores leais, capazes de lutar contra o que for por aquilo que se acredita.

Talvez, eu não passe de uma eterna romântica. Daquelas que ainda acreditam que duas pessoas possam se apaixonar e se manter fiéis a esse sentimento, mesmo quando todo o resto do universo se coloque contra.

Estou lançando o livro “Rendição” no mês de outubro. Quando escrito para a internet, ele se tornou um sucesso. Porém, tinha lá minhas dúvidas de sua aceitação na literatura impressa. Conversando sobre o fato com a autora Nina Shiruba, ela deixou bem clara a opinião sobre a aceitação: “Rendição tem mais chances de ser lido por mulheres que por homens.”

Fiquei um tanto curiosa sobre esse conceito, já que Rendição é uma historia de amor entre homens. Navegando pela internet, fui bombardeada com uma realidade que muito me incomodou: a maioria dos gays não quer nada sério.

Então, comecei a analisar e notei outra coisa: não são somente os gays, mas também os heterossexuais.

Logicamente, não posso ficar achando tudo lindo, e fingir que nada vejo. Realmente, não sou do time “em cima do muro” e exponho minhas opiniões a qualquer pessoa. E meu grito para essa triste realidade imoral do mundo se faz na minha literatura. Rendição de certa forma será meu grito contra a hipocrisia conservadora, que não aceita um amor de verdade. Mas, também é um tapa de luvas em quem acha que a vida é apenas um jogo de sexo, prazer e irresponsabilidade.

Um ser humano, uma pessoa, é mais que um órgão genital. Somos seres racionais, dotados de sentimentos, e merecemos amar e sermos amados.

Por que Rendição poderá ter mais leitoras femininas? A resposta pode se basear no fato de que as mulheres ainda não foram totalmente corrompidas para uma triste ilusão atual: “você não passa de um pedaço de carne”.

Eu não sei quem você é, nem como chegou até o meu mini artigo. Não tenho idéia da sua vida, nem das coisas que viveu. No entanto, quero que saiba que, mesmo desconhecendo o leitor que tenho nesse momento, eu afirmo com certeza absoluta: você não é uma coisa descartável.

Rendição pode ser um simples romance; entretanto, creio, também pode abrir os olhos de “Melanies” da vida. Eu sei que tenho um time de personagens que pode tocar quem ler.

É um simples dom.

Foi Deus que me deu.

E o qual ninguém pode me tirar.

Muitas pessoas se viram em Rendição enquanto liam o livro inacabado... agora quero que mais gente se veja... e quero que entendam que o mundo não é somente cinza, mas também pode ter suas cores.

Um abraço.

Josiane Veiga

9 comentários:

Cantinho She disse...

Olá Josiane! Estamos juntas no sorteio que a Flavinha está fazendo dos 3 livros de romance e vim aqui te conhecer. Eu simplesmente AMEI o seu artigo e fiquei curiosa pra ler o seu livro, depois eu vou comprar.
Beijo, beijo!
She

Kim Sousa disse...

Oi Josiane, gostei da temática do livro... estou participando do sortei no bloh Mulheres Românticas... espero ganhar todos... ahah

Abração e até mais...

Irene Moreira disse...

Josiane

Lindo a sua síntese e mais ainda o seu desabafo sobre o tipo de leitor. Com certeza temos que ver o lado do ser humano. Como disse uma Campanha feito em portugal Pelo direito a Indiferença.

Sucessos e estou participando do sorteio e espero ganhar senão já estou curiosa e vou comprar.

Beijos

Josy-chan disse...

Amadas, fiquei realmente feliz pelas mensagens...mtaaaaa sorte a vencedora^^ espero que gostem de Rendição^^

Fil. disse...

Li sobre seu livro no blog "Ei, olha o meu livro"... a sinopse me chamou a atenção mas confesso que teu artigo me instigou ainda mais!

Talvez porque me identifiquei com o contexto. Sou gay e amo literatura, romances... Mas na 'vida real', acabo desacreditando num amor assim como é tratado em livros como o seu... Faço parte (infelizmente?) da população que não quer nada sério e, sinceramente, gostaria de tentar desvendar mais a fundo o que acontece para que as pessoas sejam assim... Para que as pessoas, como eu, acreditem em amor apenas na literatura.

Quem sabe essa leitura mude meus conceitos, ajude em minhas reflexões? haha

to te seguindo!
bjos.

Kyria Alexander disse...

Josiane.... li sobre o seu livro em um blog e imediatamente o comprei. Primeiramente era para ser um presente, mas antes de entregá-lo, não resisti e comecei a ler. Sua escrita é absolutamente tocante e me marcou profundamente. A história é simplesmente real!
Sou bissexual e passei e passo por inúmeros problemas pelos quais os personagens passam, como a vontade de se assumir diante de todos, como Shuichi, mas o medo da rejeição, de Aiko. Até pouco tempo não acreditava que este tipo de amor pudesse existir, mas levei um tapa da vida, descobrindo o amor verdadeiro, que suporta tudo, mesmo que o mundo esteja contra, como você disse. Obrigada por expor essa realidade em sua obra. Não a conheço, mas para ser capaz de escrever Rendição, você é simplesmente uma das pessoas mais sensíveis e evoluídas que eu gostaria de ter o privilégio de conhecer.

Josy-chan disse...

Kyria Alexander
Só vi seu comentário agora e estou as lagrimas... mto obrigada

Isa disse...

Kyria que comentário mais lindo!!
É incrível como a Josy tem esse dom de nos fazer identificar com as situações vividas pelos personagens.
Nós sofremos junto com eles e nos pegamos lutamos por um final feliz.

Josy-chan disse...

Isa, detalhe que o comentario ja tem uns dois anos...rsrsrsrs